Pesquisar este blog

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Juiz de Fora afora*

A pedidos, quero aqui relatar - embora com bastante atraso e de maneira breve - o passeio que fiz a Juiz de Fora (MG) no feriadinho de Finados. Quis aproveitar a estadia da Fárida na cidade, pessoa querida com quem estudei na Facha e que havia decidido morar uns tempos com sua mãe. E ainda bem que fui, porque ela já até voltou a morar no Rio... Serviu para eu, pelo menos, conhecer mais um cantinho do mundo, ainda que perto de casa. Para quem não sabe, para chegar a Juiz de Fora, basta pegar a BR-040 até o fim. A estrada não é ruim, mas a viagem tem um ônus... Aliás, três: são três pedágios bem carinhos. Mas vale a pena, principalmente se você puder esticar o passeio para outras cidades mineiras, como Ibitipoca, com suas cachoeiras. Não foi o meu caso. Quem sabe numa próxima vez?

Cheguei lá no sábado, dia 31 de outubro, já na hora do almoço. Comemos num bom restaurante a quilo e partimos a pé para conhecer o centro da cidade. Comprei uma saia social e algumas roupas de ginástica no Santa Cruz Shopping. Pena que era véspera de feriado e várias lojas estavam fechadas, mas só esse lugar já valeria uma ida a Juiz de Fora. São inúmeras lojas de confecção própria, com roupas bacanas a preços muito em conta. Além disso, comemos doces da Fábrica de Doces Brasil. Não experimentei o famoso chapéu de napoleão (que a Fárida ama), nem vi nenhuma josefina (nosso casadinho ou xuxa-pelé), mas comi uma boa bomba de chocolate (embora feia, sem a cobertura)... Antes de voltar, passamos no museu Murilo Mendes e lemos alguns poemas concretos pelas paredes. Achamos meio pobrinho, mas interessante. À noite, fomos a um lugar que a Fárida não conhecia, mas sobre o qual eu havia lido a respeito em algum site: a Cervejaria Barbante, que fabrica sua própria cerveja. Adorei o lugar e a cerveja (que não deixa gosto de barbante na boca, apesar do nome... Embora só tenha tomado um golinho, pois estava dirigindo).

Eu e Faridinha (que estava bebendo Coca-Cola, juro!)
na Cervejaria Barbante

Aqui o rótulo que não me deixa mentir

No domingo, 1º novembro, dia de todos os santos, fomos passear no parque Mariano Procópio. Uma graça. Pena que não deu para visitar o museu, porque está em reforma. E pena também que meu digníssimo marido não comprou pilhas novas para a máquina e, graças a isso, temos pouquíssimas fotos de nosso fim de semana mineiro. De lá, fomos ao Cristo (sim, lá há um cristo!), no Morro do Imperador, almoçamos num lugar que vende doces - chamado Salva-Terra, onde a Fárida se encantou com um tucano que voava livremente - e tomamos uns maravilhosos-divinos-extraordinários sorvetes artesanais numa sorveteria chamada Bom Clima. Depois, tomei um café com morango (lindo e perfeito) e um doce delicioso numa cafeteria que, se não me engano, chama-se Café com Morango (dã!). À noite, fomos a um bar chamado Mercearia, de esquina, com uns armários antigos lindíssimos. Interessante, mas o padrão dos bares dali lembra um pouco o que virou a Lapa carioca, hoje. Com o que há de bom e de ruim. Tem até flanelinha!


De lentes transitions lá no alto do cristo juiz-forano

E, então, o feriado chegou... Pegamos a estrada tão logo acordamos, porque haveria um almoço de família na casa dos meus pais. Confesso que quase desviei do caminho, quando passei pela entrada para o meu Jardim Araras. O cheiro do cedro me deu uma vontade de visitar o sítio, molengar de frente para pedra Maria Comprida, tirar um cochilo na rede, na varanda... Mas eu não havia levado a chave, e sem o Zé por lá o sítio não é mais o mesmo. Resisti bravamente e cheguei bem na hora do almoço. Mas não vejo a hora de dar um pulinho no sítio.

* Infame, mas não resisti...

2 comentários:

Farida disse...

Só pra deixar claro que, apesar de parecer, eu não bebi uma gota de alcool. rsrsrsr
O nome do restaurante é Salva-Terra. Onde vimos um tucano voando livremente no céu.Lembra?
E o doce que vc comeu foi uma bomba de chocolate. Não me lembro o nome dos outros doces. srrsrs

Beijo e adorei o post.

Beatriz Fontes disse...

Ah é!!! Foi uma bomba de chocolate sem cobertura, só com recheio. Estava gostosa, mas foi a bomba mais feia que já comi...

E sim, ratifico que você não bebeu uma única gota de álcool, apesar dos olhos meio fechados.

E também lembro do tucano... Salva-terra, né!? Vou atualizar.