Pesquisar este blog

sábado, 1 de julho de 2006

"¿Qué he hecho yo para merecer esto?!!"

Em tempos de Copa do Mundo, é sempre bom explicar....

Atenção: o título deste post não é uma provocação "hermana"... Juro que não tem nada a ver com a dolorosa eliminação da Argentina, no jogo de ontem contra a Alemanha. Aliás, o título não tem nada a ver com futebol. É que eu aproveitei o último feriado futebolístico para tirar o atraso. Ops! Seus maldosos! Refiro-me ao atraso cinematográfico... Fomos - eu, Flávio, Rosana e Paulo - assistir ao novo (eu disse novo???) Almodóvar. Pois é, acho que não tenho lido os jornais direito... Não li nada a respeito. E, de repente, chega aos meus ouvidos que há um novo Almodóvar em cartaz. Epa! Eu tinha que assistir!!! Fui olhar no jornal e lá estava: "Que fiz eu para merecer isto", em cartaz no Estação Botafogo 3 e no Paço. Putz! Só cineminha fim de carreira... Que estranho!!!

Carmen Maura, como Gloria

Então, resolvi prestar mais atenção à sinopse e afins. Só então, compreendi. O novo Almodóvar é de 1984!!! Ainda bem que eu li isso antes de chegar ao cinema, senão seria bastante frustrante. Aproveitei para dar uma olhadinha na crítica. Afinal, por que exibir um filme de 1984??? Poxa, 22 anos depois... É até engraçado ver a Carmen Maura tão novinha. A impressão que dá é que é mero oportunismo. Aproveitar o nome do cineasta, ocupar a entressafra... Sei lá. Mais ou menos o que fizeram com aquele outro filme dele, o "Maus hábitos" (1983). Lembro que, embora seja um dos filmes mais importantes da carreira de Almodóvar, só passou nos cinemas daqui a reboque de "Má educação". Talvez pela temática que remete ao catolicismo... Mas, de qualquer maneira, oportunista.

Apesar da desconfiança, fui ao cinema. Escolhi o Estação 3, por conta do horário. Não me arrependi. Tudo bem, tampouco me vanglorio por ter ido ao cinema. "Que fiz eu para merecer isto?" é um filme a que se pode assistir em casa. Pelo menos, nos dias de hoje. É que o filme ficou datado... Tem até (d)efeitos especiais!!! Então, a história de humor acaba ganhando uma graça involuntária, o que pode ser bom ou ruim. De fato, não chega a atrapalhar, mas lembra um pouco essas festas de temática Anos 80 em que as pessoas riem de coisas que, à época, não tinham graça alguma.

Bem, quem quiser que confira a história de Gloria, uma faxineira que se vira como pode para cuidar de sua família. Ela vive em um pequeno apartamento de Madri, com seu ríspido marido taxista, o filho traficante, o filho homossexual e a sogra sovina. O filme pode não ser nada de excepcional, mas os tipos criados por Almodóvar são - como sempre - deliciosos... Enfim, só não precisa correr pra ver no cinema. Dá pra deixar pra ver em dvd. Ou, sendo o filme de 1984, em vhs mesmo, com todos os defeitos de imagem. Pode escolher.

----------

Agora, voltando à realidade da Copa do Mundo... Como disse meu amigo Bruno Ribeiro, aproveitando um lance genial de Marcelo Masagão (de Nós que aqui estamos por vós esperamos):

Que venha a França!!!

PS: A França veio, cantou a Marsellaise e deu um ballet no futebol brasileiro. Era uma vez a Copa do Mundo, já era o hexa... Fica pra próxima. 2010, quem sabe? O negócio agora é torcer pra Portugal e cantar junto "Heróis do mar, nobre povo, / Nação valente, imortal, / Levantai hoje de novo / O esplendor de Portugal! (...)". Acho que a gente precisa ser menos rancoroso... Revanche, revanche... Se o povo queria se "vingar" do vexame de 98 que abandonasse o galicismo! Ao invés de revanche, que se use desforra, desagravo, despique... Seja lá como for, diz a sabedoria popular que o feitiço sempre vira contra o feiceiro. Secamos a Argentina? Pagamos na mesma moeda, ou ainda pior. Afinal, eles disputaram essa copa. Já a gente, só foi lá passear.

2 comentários:

DE TUDO UM POUCO disse...

Que venha a França!!!E quem voltou foi o Brasil!Semana que vem,você comenta lá no meu blog COM TODO O RESPEITO,TÁ?????

Bruno Ribeiro disse...

Brigado pela parte que me toca! Beijão!