Pesquisar este blog

segunda-feira, 23 de maio de 2005

Por um dia de sol que ilumine a baía

Inspirada pelos comentários da galera que lê o Conexão Irajá, passei a semana sonhando com uma ida ao Mercado de Peixes São Pedro (Niterói) no fim-de-semana. Há anos, ouço contarem de como é maravilhoso escolher, fresquinho, o peixe que se deseja comer e vê-lo ser preparado lá mesmo, na hora. Tudo isso acompanhado de um bom papo e uma cerveja estupidamente gelada, é claro.

Entretanto, não foi dessa vez que consegui realizar meu desejo de conhecer o famoso mercado. Como todos os fins-de-semana de maio, o último foi repleto de comemorações de aniversário. Foram três ao todo. E, no sábado à noite, já nem lembrava mais do tal mercado. Além do mais, o tempo esfriou e pensei ser melhor aguardar um belo dia de sol. Já estava conformada.

Na manhã de domingo, enrolada nas cobertas, aproveitava o friozinho para ler o 1984 (aquele mesmo, do George Orwell), recém-comprado. Como disse, não pensava mais no assunto. O telefone tocou e, na medida do possível, corri (isso é força de expressão!) para atender. Era meu amigo Reinaldo, com quem não falo há séculos. Mal respondeu ao meu alô, o Rei já largou a pergunta:

— E então, Bia, quer ir ao Mercado dos Peixes de Niterói?

Fiquei verdadeiramente surpresa, porém não pude aceitar. No entanto, fiz com que ele me prometesse que iria comigo em um outro fim-de-semana. Que venha o sol...

Um comentário:

R. Mariano disse...

Embora prefira chuva e céu nublado pra combinar com meu humor característico, torço pelo sol então. E se tiver como, me chama! Também quero comer peixe fresquinho! Isso existe mesmo? Tem certeza? No Rio de Janeiro? Só vendo pra crer!
Beijos
R. Mariano